Um cantinho para sonhar, desabafar, partilhar, divulgar, voar, sorrir, emocionar...o meu cantinho secreto!

Foto tirada pela girafa antes de se transformar em Nenúfar...na vida real - Lago de Jardim em Mafra.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Fórum de Ideias e estratégias para a disciplina dentro da sala de aula e em casa...


No post anterior, a amiga sónia disse, a propósito do silêncio dentro da sala de aula:


"Levanto o braço sem uma palavra. Eles dão conta e têm de levantar o braço também. Eles têm de levantar o braço e ficarem calados. Quando o silêncio se instala lá baixamos o braço novamente e eles acalmam. Mas sabem que se eu levantar o braço mais de 3 vezes é um castigo colectivo. Só foi preciso castigar uma vez a turma inteia, nunca mais!! Pelo menos este ano".


Neste final de ano, nas últimas aulas, os meus alunos andavam irrequietos, agitados, perturbadores.


Os meus alunos são muito vivos, muito activos, extremamente interventores nas aulas. E depois...é vê-los a falar uns por cima dos outros até ninguém ouvir ninguém até eu impor calma e pedir-lhes que falem um a um.


Gostava imenso que pessoas ligadas ao ensino e pais ou encarregados de educação, partilhassem IDEIAS, ESTRATÉGIAS, para estabelecer ordem e calma dentro de uma sala de aula. A troca das vossas ideias pode ser preciosa e na conversa surgem mais ideias...e não é só dentro da sala de aula...é também em casa com os vossos filhos, como se fazem ouvir quando por exmplo há desarrumação por todo o lado ou alguma criança insiste em jogar playsation, ou não venham para a mesa quando chamam por eles, etc, etc??


Como gerem as vossas aulas?? Os vossos alunos estão sempre atentos e sossegadinhos e poucos perturbadores??


Antigamente, o silêncio e calma era imposta pelo medo, íamos para a escola já com traumas, a pensar que íamos levar umas reguadas...mas hoje as nossas crianças vão sem estes traumas, e são muito vivas e animadas dentro da sala de aula. Por vezes, é necessário saber muitíssimo bem controlar e gerir esta animação toda. E nem sempre resultam todos os truques debaixo da manga.


O que pensam sobre isto??


Gostaria de fazer um post com as vossas ideias, porque esta troca pode ser benéfica para todos, pelo que se pensarem que não cabe num comentário a este post têm o meu e-mail se assim o desejarem:



girafa_cor_de_rosa@yahoo.com.br


21 comentários:

sonia disse...

Bem...bem...eu tou parvinha de ver que te inspirei e que me citaste num post teu! Tou toda corada lol
Mas tà descansada: os meus alunos são irrequietos na mesma!!Mas é verdade que é uma estratégia que ajuda.
Agora em casa a historia é outra!!!Achas que a Lara ia seguir uma coisas destas???!!!Por enquanto grito pois lol
Beijinhos grandes

BC disse...

Não sou professora mas certamente que têm que existir estratégias na saula de aula e determinadas posições que deverão ser tomadas para que as criancinhas tenham mais
respeito em relação aos professores e até para consigo próprias num futuro.
É claro que muitas coisas vêm de casa e têm que ser revistas pelos pais.
Beijinhos

1/4 de Fada disse...

O meu grande problema não são os alunos vivos e irrequietos que querem participar todos ao mesmo tempo, dissso gostava eu de ter... o meu problema mesmo são os mal-educados, mal-formados, agressivos, que gritam, andam levantados quando lhes apetece, fazem o que querem, ignoram completamente qualquer tipo de regra de saber estar numa sala de aula...

mjf disse...

Olá!
Nessas estratégios não te posso apoiar...


Beijocas
Bom fim de semana

Shakti disse...

Tenho poucos alunos na sala de aula(este ano tinha 15) , e são de dois anos diferentes , um do 3º e outros do 4º , e felizmente não tenho grandes elementos destabilizadores, apenas dois e geralmente opto por me calar os outros alunos acabam por mandar calar os que estão a destabilzar .
Houve um ano que tinha uma turma complicada em termos de comportamento ,eu todos os dias ralhava , falava baixo para eles se calarem , mas na maioria das vezes tornava-se impossível ...era insustentável , dificilmente conseguia dar aulas .Um dia já estava demasiado cansada daquele barulho , estava a passar uns exercícios no quadro, pousei o giz , gritei "CHEGA"e sai da sala ...silencio absoluto...claro que fiquei de fora da sala e ver o que se iria passar...começaram a falar que a culpa era de A ou de B e eu ai entrei e tive uma conversa com eles, expliquei que alem de ser professora era uma pessoa igual aos pais deles que tinha família e que muitas das vezes não tinha paciência para os meus filhos porque gastava tudo na sala de aula , e que se era isso que eles queriam eu ficava de baixa e iria uma professora que eles não conheciam para a sala deles...remédio santo nesse ano ...quando algum deles tentava pisar o risco outro dizia-lhe logo "olha que a professora mete baixa"..

Bjs e espero ter ajudado de alguma forma !

DDivinal disse...

eu sou aluna conta? sinceramente às vezes e por culpa de ninguém deixamo-nos levar... e nem sempre é por mal mas lá se vai a ordem na sala... houve um episódio que me marcou uma vez (já na faculdade), era o inicio da aula, estava tudo a conversar e o prof lá na frente... ele podia ter pedido que se calassem podia ter feito isto e aquilo, simplesmente começou a dar a aula, e só se viam os lábios a mexer os braços a gesticular... bem... passados 2 mins( até que lá atrás no auditório se apercebessem do que acontecia) estava tudo caladinho e assim foi nas restantes aulas...

José António disse...

Bom desafio. Uma girafa tem sempre a vantagem de ver mais alto, ou, pelo menos, de mais alto.
Cá vai uma dica. Castigos colectivos só quando temos a certeza absoluta de que o colectivo o merece. Se assim não for, teremos uma estratégia assertiva para formar soldados, mas não para educar alunos.

conchita disse...

É muito difícil lidar com crianças, não sei como te posso ajudar, mas se fosse eu começava a dar a aula normalmente mesmo com barulho e quem quissesse ouvir que ouvisse, eu sei que vai prejudicar à aqueles que querem ouvir, mas eu acho que assim serão esses mesmos que os vão mandar calar!!
Beijos :)

Blue Eyes disse...

Ui amiga...às vezes já é dificíl controlar o que tenho cá em casa!

Mas isto anda mal...nós não eramos nada assim!De facto algo tem de ser feito...
Não tens uma profissão nada fácil...paciência e coragem para o futuro é o que te desejo.

*** para os três.

Filoxera disse...

Às vezes tenho dificuldade em combater os disparates dos meus fihos, e são só dois... Faço ideia numa sala de aulas!
Ele, está numa fase de "medir forças" e eu dou por mim a pensar se o sistema de premiar o comportamento bom e censurar o mau, aplicando um castigo,não é, afinal, um sistema tipo suborno. Não sei. Mas gostava de ter estudado noções de psicologia educacional, ou lá como se designar...
Beijos.

Chicha Bananica disse...

Oi!
Eu sempre gostei dos macaquinhos e bananas da minha prof. da 3ª classe. Diga-se que banana nunca ganhei nenhuma, mas que eu e os outros nos esforçavamos, esforçavamos!
Talvez só funcione com os mais pequenos, mas é simples.
Diariamente, no fim da aula, o prof e a turma pronunciam-se sobre o comportamento de cada um, decidindo quem merece ganhar um macaquinho (carimbo que se apõe numa cartolina à frente do nome do aluno). Quem no fim do mês tiver tido macaquinho em todas as aulas ganha a banana, que corresponde não só a um carimbo com esta forma, como a uma lembrança simbólica dada pelo prof.
Já lá vão quase 30 anos e não me esqueci.....
Outra coisa que me lembro bem é da prof. parar a aula e por todos a olhar para quem está a causar distúrbio, convidando-o a partilhar com a turma a sua ideia, conversa, disparate ou mesmo a dar a aula....
Poucos ousaram repetir a graça outra vez...
Nas salas ainda há estrado? Pq não sentar o mais indisciplinado à vista de todos e perto do prof?
Juro que não andei em colégio correccional....!

sonia disse...

So mais uma coisa em relação aos castigos colectivos. Não sou adepta disso o tempo todo, mas a ameaça do castigo colectivo faz com que os "bons" se juntem contra os "maus". A pressão do grupo naquele momento, aquela união vale a pena a ameaça!!So o tive de fazer uma vez, em 9 anos!!Portanto funciona e miuto bem!

O Profeta disse...

Não te posso ajudar, sou professor de artes...


Doce beijo

Mocho Falante disse...

De facto passámos do 8 para o 80, penso que agora há uma liberdade excessiva por parte dos alunos, por outro lado os pais querem que cada vez mais a escola assuma o papel que lhe está destinado, penso que tem de haver um equilíbrio de ambas as partes pois só assim chegamos a bom porto

beijocas

Blue Angel disse...

Eu nunca conseguiria ter a tua profissão! Admiro quem a escolhe, porque é uma decisão de coragem e devoção.
Eu nunca fui mal comportada na sala de aula, mas via colegas meus serem intragáveis para os professores.
Acho muito fixe essa tua ideia de partilhar experiências. Mesmo os pais precisam de uma certa orientação para ajudarem os filhos na escola. Eu pelo menos, quando tiver as crianças na escola (o que acontece já este ano ao Diogo) gostava de saber como os ajudar melhor.

Um beijo

Nivea

Girafa cor de rosa disse...

sonia: ó Sónia por quem sois!! Todos os comentários valiosos são para ser aproveitados até ao tutano! não precisas de ficar "parvinha" :-))

bc: sim há muitas coisas que deverão partir da educação que cada um recebe dentro da família. Mas às vezes não há esta preocupação em transmitir valores, comportamentos e atitudes, e depois...beijinhos.

1/4 de fada: os meus alunos (este ano!!) eram vivaços e interessados, mas por vezes isso fazia com que desvalorizassem algumas regras dentro da sala de aula. E para esse que dizes, esses que são mal educados e agressivos, será que não há nadinha que nós professores possamos fazer? Em prol do saber estar e ser? Acredito piamente que sim, só não sei bem o quÊ!! Beijinhos.

Mjf: podes sempre apoiar, dando a tua opinião sobre o que ouves, assumindo um papel de "educadora", que todos somos nesta sociedade (uns mais do que outros!). Bjs.

Shakti: que belo testemunho que deste! Maravilha. QUe opção lógica e simples que tiveste nesse dia, e resultou!! Obrigada pela partilha valiosa. Bjos.

ddivinal: é claro que conta!! Todas as opiniões (dos dois lados) são bem vindas. Essa é muito válida, trata-se de outra estratégia - a de continuar a aula como se nada fosse! Bjs. P.S - volta sempre.

José A. - Mas muitas vezes o colectivo leva por tabela o mau comportamento dos colegas que não deixam ouvir nem respeitam regras, compreendo a tua ideia, mas sinto que não é nada fácil! Bjs.

Conchita: pois essa ideia é válida e já tinha sido apontada, poderá resultar em algumas turmas, noutras talvez não, só a experiência nos dirá...beijos.

Blue eyes: obrigada querida amiga. Bjs.

filoxera: ai filoxera, se as noções de psicologia ajudassem de facto a combater e a lidar com estas questões de disciplina...às vezes nem todos os cursos do mundo ajudam..bjs.

Girafa cor de rosa disse...

Chicha bananica: ai que ideias tão giras! E Vês que ficaste marcada para toda a vida?! Obrigada por essas partilhas magníficas! Bjs.

Sónia: só sei que nada sei:-)) mas é excelente a partilha de ideias! Obrigada. Bjs.

Profeta: é claro que podes ajudar. Tens uma opinião sobre disciplina, educação, valores e atitudes, certo?? Beijos.

Mocho: pois é isso mesmo! E a escola não pode nem deve assumir o papel parental. Beijos.

blueangel: amiga já enviei o meu e-mail e nao recebi convite para entrar no teu blogue, como funciona? Bjs.P.S. quanto à nossa ajuda aos filhos enquanto pais, existem várias possibilidades: conversas com outros pais, bons livros de pedagogia e outros que tais, partilhas várias, cursos (qui ça?), mas a melhor és tu e o teu marido e o vosso bom senso e amor pelos filhos! Bjs.

Patti disse...

Eu só posso falar pela turma do 7º ano da minha filha. Uma turma de óptimos alunos, mas extremamente barulhenta, irrequieta e até indisciplinada.
No caso dela, para mim faltou a punição mais séria, o sair da sala de aula, o castigo mais eficaz o que for.
Eles não se portavam melhor só por causa do recado na caderneta. Ali não funcionou.
Acho que há indisciplina sim, mas também falta de autoridade.
Falo como mãe que assiste, como professora dentro de uma sala de aula, não sei.

LeniB disse...

Em vinte e um anos de ensino, só mandei uma vez um aluno para a rua.
Gosto de aulas movimentadas, em que eles querem falar todos, participar, dialogar.
Nunca senti que houvesse indisciplina nas minhas aulas, conquanto as regras são bem definidas logo de início. Por vezes deixo-os falar ao mesmo tempo, até para eles próprios terem a percepção que daquela forma não se ouvem.
Como costumo participar das suas conversas, quando me calo repentinamente no meio da sala e olho para eles seriamente, o silêncio instala-se. Ao longo destes anos tem resultado. Outra maneira de os fazer entender que estão a exagerar é dirigir-me à porta da sala, olhar uns segundos lá para fora...como são curiosos, ficam à espera que eu lhes diga o que se passou!!! Devem pensar que vou sair porta fora, ou coisa do género! Quando fecho a porta estão calados para me escutar.
Agora atenção...tenho tido sempre muita sorte com os alunos que me aparecem à frente. Não quero com isto dizer que tenho somente turmas de elite. As poucas escolas por onde passei é que são geograficamente bem localizadas! Contudo, há sempre um artista que se quer destacar. Quando isso acontece, peço que os outros se calem porque o colega quer encarecidamente ouvir as suas próprias piadas.
bjs

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola girafa !
Na procura de blogs de colegas portuguesas encontrei o teu e achei muito interessante.

Nao sei que idades que tem os teus estudantes mas na minha experiencia de mitos anos LEARNING BY DOING sempre funciona. Porque de facto o que se deseja nao é o silencio, é a concentracaoe, que os alunos aprendam. Há que desistir da ideia que o prifessor é o protagonista duma aula ! Boa aula: os alunos trabalham, o proifessor faz o menos possivel !! Naturalmente isso nao significa que nao tens trabalho, há que preparar as aulas :))

Anónimo disse...

Olá girafa cor de rosa...
Sou educadora de infância e este ano estou dando aulas de música para o 1º ciclo em duas escolas e estou com o mesmo problema numa turma do 1º ano. Já utilizei várias estratégias e não resultou, vou continuar tentando porque "água mole e pedra dura, tanto bate até que fura". Mas confesso que não é fácil, às vezes temos que contar de 1 até 10 para não perdermos o controle. Bjnhos...